Temas Variados » A Copa do Mundo e o turismo sustentável

A Copa do Mundo e o turismo sustentável



A Copa do Mundo esta aí. E você esta preparado para ela? Além de todos os benefícios já conhecidos que este evento trará ao Brasil, esta pode ser uma oportunidade especial para os empreendimentos do setor hoteleiro. É a hora de aproveitar os incentivos do governo e o público estrangeiro para crescer e aparecer para além das fronteiras do Brasil.

Turistas mais conscientes e exigentes.

Mais do que a oportunidade de ganhar dinheiro durante o evento em si, os empreendimentos do setor hoteleiro tem a chance de “aparecer” para um público consciente e exigente.

Apesar da oportunidade de receber um grande número de turistas na época da Copa do Mundo os hotéis, pousadas, resorts e similares tem que aproveitar a oportunidade para se diferenciar positivamente de seus concorrentes, para que no período pós copa, os turistas continuem voltando ao seu empreendimento, pois foram recomendados por amigos ou porque viram reportagens nos meios de comunicação.

Pesquisas comprovam que a procura e a preferência dos turistas de países desenvolvidos por hotéis sustentáveis é muito maior do que dos turistas de países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. Isso acontece, principalmente, por esses turistas já estarem acostumados com um atendimento diferenciado e com empreendimentos que possuem ações sócio-ambientais.

Com algumas consultas rápidas a sites internacionais de cadastro de hotéis sustentáveis, notamos a pouquíssima presença de empreendimentos brasileiros cadastrados. (www.itsagreengreenworld.com e www.ecohotelsoftheworld.com)

Isso já indica oportunidade que os hotéis brasileiros estão perdendo. Os turistas que virão durante e após a Copa do Mundo estarão à procura de empreendimentos com ações sócio-ambientais e darão preferência àqueles mais sustentáveis.

 

Pesquisa da TIES (2006) mostra que na Europa:

  • 20 a 30% dos consumidores estão conscientes e conhecem a necessidade e o valor do turismo sustentável;
  • 10 a 20% procuram por green options;
  • 5 a 10% procuram green Holiday;

Ecoturismo

Na Alemanha, 65% esperam qualidade do ambiente e 42% acham importante acomodação eco-friendly.

Na Inglaterra, 50% disseram ser mais pendentes a usar companhias que tenham um código de conduta escrito que garanta boas condições de trabalho, proteção ao ambiente e caridade local, 87% dizem que férias não devem degradar o ambiente e 37% pagariam até 5% para garantias éticas (tearfund 2000 e Mori 2002)

De acordo com uma pesquisa mundial da consultoria europeia TNS Sofres, 90% dos turistas optam por lugares que valorizam a preservação da natureza e o desenvolvimento social na hora de escolher seus destinos. Dos 800 entrevistados, 69% concordam em pagar 30% a mais para garantir o desenvolvimento local e a preservação do meio ambiente. Os chamados viajantes responsáveis gastam em média US$ 104 por dia, contra US$ 76 de um turista comum, de acordo com a Organização Mundial do Turismo. (Fonte: www.istoe.com.br)

 Incentivos especiais.

Além da preferência dos turistas estrangeiros por empreendimentos com ações sustentáveis atualmente temos algumas linhas de financiamento com condições especiais a esses empreendimentos. Além das já existentes linhas de financiamento com incentivos especiais como, por exemplo, o BNDES PROESCO, FIP – Meio Ambiente (Nossa Caixa), Linha Verde (Nossa Caixa), FIP – Energia (Nossa Caixa), Turismo Sustentável – Juntos faremos diferença (Santander), dentre outros o BNDES lançou duas novas linhas de financiamento especificas para a Copa do Mundo e com condições especiais para hotéis com ações sustentáveis. O BNDES ProCopa Turismo Hotel Sustentável e o BNDES ProCopa Turismo Hotel Eficiência Energética, que possuem carência e prazos de pagamento maiores para os hotéis com ações sócio-ambientais.

Essas linhas de financiamento especificas para a Copa podem ser usadas para a construção de novos empreendimentos ou para a reforma ou expansão de empreendimentos já existentes.

É uma ótima oportunidade para aproveitar as ações que seu empreendimento já desenvolve para conseguir fontes de financiamento com melhores condições ou se ainda não realiza ações sócio-ambientais é uma boa hora para começar.

A norma ABNT NBR 15401.

A norma 15401 – Meios de hospedagem – Sistema de gestão da sustentabilidade existe desde 2006, porém, até hoje apenas 03 empreendimentos possuem a certificação e a demanda para tal estava muito abaixo da expectativa inicial. Apesar de a norma ser muito completa e abordar muito bem os temas ambientais, sociais e econômicos, o seu apelo de Marketing (conhecimento por parte dos hoteleiros e dos turistas) era muito pequeno. Porém a nova linha de financiamento do BNDES, o BNDES ProCopa Turismo Hotel Sustentável, tem como exigência a certificação do empreendimento segundo a norma ABNT NBR 15401 e por isso, desde de a divulgação da linha de crédito, mais de 120 empreendimentos já solicitaram a auditoria de certificação.

Talvez este seja o inicio da consolidação de uma certificação nacional para o setor hoteleiro, através do qual os empreendimentos realmente responsáveis poderão ser reconhecidos pelos turistas e outros empreendimentos, evitando assim a famosa “maquiagem verde” ou “greenwashing”.

Um exemplo para o Brasil.

A Costa Rica, um pequeno país localizado na America Central, com um tamanho equivalente a aproximadamente 0,6% do território Brasileiro e com uma população equivalente a aproximadamente 2,5% da população brasileira recebeu cerca de 2,1 milhões de turistas no ano de 2010, enquanto o Brasil com todo seu tamanho e população recebeu apenas 5,1 milhões de turistas em 2010.

Costa Rica

Brasil

Turistas/km²

41

0,59

Turistas/habitante

0,45

0,02

% do PIB (2008)

7,2%

2,8%

Costa Rica

A explicação para esta diferença gritante entre os dois países é devida, em grande parte, ao nicho explorado pela Costa Rica, nicho do turismo ecológico e sustentável. O governo desenvolve programas que incentivam o setor turístico a desenvolver o ecoturismo e a hospedagem sustentável em todo país, inclusive através de uma certificação nacional (The Certification in Sustainable Tourism Program – CST) que hoje é reconhecida internacionalmente e é um case para outros países.

Hoje quando se fala em turismo ecológico e sustentável um dos nomes mais lembrados é o da Costa Rica.

 

O que pode (e deve) mudar.

Com as oportunidades citadas acima, dentre outros incentivos que ainda aparecerão, a Copa do Mundo, se bem aproveitada, pode ser o divisor de águas entre o que é hoje o turismo sustentável no Brasil e o que pode se tornar após esse evento. Esta é a expectativa (e desejo) de muitos profissionais que atuam com turismo sustentável no Brasil. As mudanças já começaram…

 

Thiago Cagna. Consultor EcoHospedagem. Novembro/2011

 

Comentários sobre este post? Clique aqui.

 

Participe de nosso fórum.

 

Ir Para Topo Da Página

Deixe seu comentário também!

Comentários



7 Respostas para A Copa do Mundo e o turismo sustentável

  1. Caros amigos;
    Gostaria de trabalhar com vocês !!

    Possuo hospedaria em BH no bairro Mangabeiras para 15 pessoas, que estará disponível a partir do dia 10 de março.
    Para conhecê-la é só clicar no link abaixo ou copiar e colar no navegador e uma vez dentro do site clicar nos ícones !!
    Reserve já!

    http://www.bluemountainbh.com.br/

    Atenciosamente
    Marcos Cançado
    (31) 9163-2593

  2. TRAJANO ARANTES DE OLIVEIRA diz:

    Em Canela na Serra Gaúcha existem 3 pousadas certificadas pela NBR 15401: A Pousada Blumenberg, a Pousada Don Ramon e a Pousada Encantos da Terra. A T&M Inovações Empresariais prestou consultoria para implementação da Norma na três pousadas certificadas.

  3. dione almeida queiroz diz:

    Estudante de arquitetura izabela hendrix me interesso muito sobre o artigo pois devo fazer um trabalho sobre a rede hoteleira de bhe a matéria me trouxe dados bastante significativos.

    • tcagna diz:

      Que bom que pudemos ajuda-la Dione. Parabéns pelo tema escolhido!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.