Como avaliar se um hotel é sustentável?

Como avaliar se um hotel é sustentável?



 

Possíveis categorias perante a sustentabilidade

 

 Veja todos os hotéis sustentáveis cadastrados em nosso Portal

Veja como tornar sua viagem mais sustentável

Veja alguns roteiros de Ecoturismo, Turismo de Aventura, Turismo Rural, entre outros

 

Viajar de forma mais sustentável não significa abrir mão dos prazeres de uma viagem!

 

 

Sustentabilidade não é abrir mão do conforto e dos mimos que estamos acostumados quando viajamos. Sustentabilidade é tomar um banho quente e agradável, mas usando luz solar para aquecer a água. É passar o dia inteiro dentro de uma piscina aquecida, mas aquecida por energia solar. Sustentabilidade é sim comer bem, mas comer uma comida sem agrotóxico e da cultura local. Não é deixar de comprar souvenires para dar aos amigos, mas comprar produtos feitos por pessoas da comunidade local, produtos únicos! É ser mimado pelos funcionários dos hotéis, mas funcionários felizes e que ganham bem.

 

Você trabalhou para isso. Você merece.Mas tudo isso pode ser feito de uma forma mais amiga do meio ambiente.

 

O objetivo maior do nosso Portal é a aproximação entre hotéis, pousadas e resorts que desenvolvam um trabalho sério de sustentabilidade com os turistas, brasileiros e estrangeiros, que buscam alternativas de hospedagem mais sustentáveis.

 

E sabe uma das formas mais simples de você ajudar? Dando preferência por empreendimentos sustentáveis. Além de se preocuparem com o meio ambiente e com a comunidade local, normalmente estes empreendimentos têm mais qualidade, pois eles ouvem as necessidades de clientes e colaboradores.

 

O que avaliar

 

Quais ações um empreendimento deve ter para ser sustentável? Abaixo uma lista de algumas ações que podemos observar se são ou não adotadas. Mas lembre-se, nem todas as ações possíveis estão aqui descritas e nem todos os estabelecimentos necessitam aplicar todas as atividades listadas para serem sustentáveis, isso depende de sua localização, estrutura e outras variáveis.

 

Pedimos, se possível, que você imprima essa lista (que tal usar o verso de uma folha usada?) e leve em sua viagem e na volta nos conte em que hotel ficou e quais requisitos ele atendeu. Assim você estará incentivando que os empreendimentos realizem ações socioambientais e estará ajudando aqueles que já praticam essas ações. (Clique aqui para fazer o download da lista em pdf)

 

 

 

O Greenwashig

 

O relatório The Sins of Greenwashing, realizado pela consultoria TerraChoice Environmental Inc., listou os sete pecados do greenwashing. Segundo o estudo de 2010, em um ano o número de produtos que se dizem verdes subiu 73%. Veja como reconhecer um pecador:

 

1. Pecado do Custo Ambiental Camuflado

Rótulo destaca uma qualidade “verde” do produto e esconde outras características que podem representar uma perda ambiental maior. Ou seja, ao pesar na balança, o malefício não-anunciado é maior que o benefício anunciado.
Pergunte-se: o apelo ecológico está se referindo a apenas uma questão ambiental restrita?

 

2. Pecado da Falta de Prova

Faltam dados que provem que o produto é correto ambientalmente e as informações não são acessíveis (nem no local de compra, nem na internet). Por exemplo: eletrodomésticos que dizem ser eficientes, porém não têm certificação confiável. Se um produto diz que é uma coisa, deve comprovar.
Pergunte-se: o apelo fornece mais informações sobre sua proveniência?

 

greenwashing_maquiagem_verde3. Pecado da Incerteza

Quando o consumidor não entende a informação passada e confunde significados. Alguns exemplos estão nas expressões “natural” (arsênio, urânio e mercúrio são naturais, mas venenosos) e “amigo do meio ambiente ou ecologicamente correto” (pedem uma explicação complementar – afinal, ecologicamente correto, por si só, não quer dizer muita coisa). Segundo a pesquisa, é o pecado mais comum entre os produtos brasileiros – representa 46% de todos cometidos por aqui.
Pergunte-se: o apelo ambiental é autoexplicativo? Se não, apresenta alguma explicação sobre seu significado?

 

4. Pecado do Culto a Falsos Rótulos

O produto transmite a impressão errada quando parece que tem um selo confiável e  não tem – tipo desenhos de uma arvorezinha ou de um planeta fofo que estão ali só para “encher linguiça” e podem confundir o consumidor.
Pergunte-se: o certificado apresentado pelo produto é realmente endossado por terceiros?

 

5. Pecado da Irrelevância

Quando é dado destaque para informações que não são importantes ou úteis na busca do consumidor. Ou seja, o rótulo distrai e pode fazer com que a pessoa deixe de procurar opções melhores. Um exemplo citado no estudo é quando uma embalagem traz a mensagem “não contém CFC” como se fosse um diferencial (a substância foi banida por lei há anos).
Pergunte-se: poderiam todos os produtos desta categoria apresentar o mesmo apelo?

 

6. Pecado do “Menos Pior”

O benefício ambiental do produto pode até ser verdadeiro, mas esconde o impacto da sua indústria como um todo. Por exemplo, pesticidas que se apresentam como ecologicamente corretos. No Brasil, a pesquisa não encontrou produtos que comentem este pecado – e no resto do mundo a incidência também foi pequena.
Pergunte-se: o apelo tenta fazer o consumidor se sentir mais “verde” em relação à categoria de um produto que tem seu benefício ambiental questionado?

 

7. Pecado da Mentira

Como o nome diz, a informação passada é falsa. O segmento de cosméticos e higiene pessoal foi o que mais apresentou apelos mentirosos no estudo. Brasil e Canadá foram os mais pecadores nesse quesito.
Pergunte-se: quando checo o apelo feito, ele é verdadeiro?

 

 

Certificações existentes

 

Possuir uma certificação não significa ser sustentável e sim que o empreendimento possui ou esta desenvolvendo algumas atividades que fazem parte do rol de atividades da sustentabilidade. Além disso existem no mercado muitas “certificações” ou “selos verdes” que não passam de formas fáceis de ganhar dinheiro das empresas e dos consumidores, por isso fique esperto e sempre questione sobre os critérios adotados por aquela certificação.

 

Abaixo algumas certificações existentes:

 

Nacionais

 

– Classificação hoteleira.

– Código de conduta ambiental roteiro do charme.

– Selo Verde Guia 4 Rodas

– ISO 14001, certificação ambiental.

– ISO 9000, gestão da qualidade.

– NBR 15401, Meios de Hospedagem, Sistema de Gestão da sustentabilidade, 2006.

– Programa Bem Receber.

– Programa Bem Receber Copa.

 

Internacionais

 

– Biosphere Hotel, certificação reconhecida pela UNESCO para o turismo responsável.

– Blue Flag, certificado direcionado a sustentabilidade em praias.

– Earthcheck, certificação internacional para o setor de turismo.

– Green Globe, certificação da administração e operação de empreendimentos do setor turístico .

– Green Seal, certificação para produtos.

– GRI, Global Reporting Iniciative, relatório de sustentabilidade.

– GSTC, The Global Sustainable Tourism Criteria, 2008.

– LEED, Leadership in Energy and Environmental Design.

– Rainforest Alliance, certificação para produtores e produtos.

– Sustainable Travel International, certificação para o setor de turismo.

– The Green Key, certificação para o setor de turismo.

 

 Veja todos os hotéis sustentáveis cadastrados em nosso Portal

Veja como tornar sua viagem mais sustentável

Veja alguns roteiros de Ecoturismo, Turismo de Aventura, Turismo Rural, entre outros

 

Por Thiago Cagna

Deixe seu comentário também!

Comentários



12 Respostas para Como avaliar se um hotel é sustentável?

  1. Giovanna diz:

    Eu gostei muito do texto e dos comentarios é surper interessante quem fez esse site esta de parabens também para as pessoas dos cometarios tchau pessoal beijos

  2. Victor Salessi diz:

    Parabens pelo portal. Estou utilizando em muito suas informações. Obrigado

  3. Eduardo Cunha diz:

    Muito pertinente a reportagem!!

    Gostei muito do Check List de ações sócio-ambientais mas acho que estão faltando 2 itens importantíssimos. Alguns hotéis, pelo menos os mais “famosos”, fazem o monitoramento da qualidade do ar e da água certificando o usuário que a água que ele está bebendo, no caso de bebedouros, e o ar que ele está respirando está dentro das normativas pertinentes como por exemplo a RE 09 da ANVISA. Muitos hotéis não fazem publicidade dos relatórios mas saber que eles se preocupam com a saúde do hospede é de longe a atitude mais importante de todas.

    Parabéns e grande abraço!

    • tcagna diz:

      Ola Eduardo, agradecemos sua contribuição. Você esta corretíssimo, na verdade, acreditamos que tenham muitos outros pontos para poder afirmar, ou não, se um empreendimento é mesmo sustentável. Mas no check list buscamos colocar apenas itens de fácil verificação por parte dos hóspedes, itens que não exijam que o cliente tenha de pedir algum documento ou fazer alguma pergunta muito específica.

      Acreditamos que assim fique mais fácil para o hóspede. Mas como dissemos, você está correto, ainda temos outros muitos pontos que podemos e devemos checar!

      Um abraço,

      Equipe EcoHospedagem

    • tcagna diz:

      Ola Reginaldo como vai? Muito obrigado por contribuir com nosso portal! Após entrarmos em contato com o pessoal da Earth Check, recebemos a informação de que o Green Globe ainda existe, porém agora é independente do Earth Check. São duas empresas agora. No link http://www.earthcheck.org você pode ter outras informações.

      Mais uma vez agradecemos pela contribuição.

      Equipe EcoHospedagem

  4. Lais diz:

    Olá, gostaria de parabenizar o site vocês também! É um assunto bastante interessante e cada dia que passar vai se tornando mais importante!

    Parabéns! E obrigada pela visita, o TelaJovem agradece e estamos abertos a opniões e comentários.

  5. Ana diz:

    Olá! Gostaria apenas de esclarecer que a EarthCheck não é um sistema de certificação para empresas. A EarthCheck é um sistema integrado de gestão ambiental baseado nos princípios da agenda 21 e que cobre 31 setores de turismo e hospitalidade, além de design sustentável, este sistema cobre responsabilidade social e ambiental. Não se trata de um selo verde nem checklist, e para ser certificado o empreendimento necessita passar por uma auditoria independente que irá verificar a validade das declarações, em alguns pontos se assemelha ao sistema NBR 15401 e ao ISO 14001, a diferença é que o ISO é voltado para gestão operacional. A norma EarthCheck foi utilizada como base para a criação do GSTC, oferece um padrão internacional presente em 70 países.

    • tcagna diz:

      Ola Ana como vai? Agradecemos a correção, a alteração já foi feita.

      Atenciosamente,

      Equipe EcoHospedagem

  6. tcagna diz:

    Ola Rogério como vai? Obrigado pela correção, a alteração já foi feita.

    Atenciosamente,

    Equipe EcoHospedagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.