Temas Variados » O turismo sustentável e os “selos verdes”

O turismo sustentável e os “selos verdes”



 

ecolabel_tourism_selos_verdes_turismo

 

Quando falamos em sustentabilidade não podemos deixar de falar sobre os selos sustentáveis, certificações em sustentabilidade e outros mecanismos usados para mostrar se empresas e/ou governos são mesmo sustentáveis. Um estudo de 2002 da Organização Mundial do Turismo identificou mais de 60 certificações em sustentabilidade e ecoturismo no mundo todo, um número muito grande e que gera muita confusão entre os turistas, afinal como saber quais os requisitos de cada certificação? Como saber se ela é séria? Quem verifica estas empresas?

 

Por isso é importante que cada país tenha, no máximo, uma ou duas certificações específicas para cada setor do turismo, como a hotelaria, por exemplo, e que esta “converse” e seja complementar as certificações utilizadas em outros países. Claro que uma certificação válida na Europa necessita de adaptações para funcionar bem no Brasil, afinal na Europa, eles têm que dar mais atenção ao meio-ambiente, enquanto que no Brasil deve haver o equilíbrio entre ambiente e social.

ecolabel_tourism_selos_verdes_turismo2

Exemplo de selos de turismo e sustentabilidade

 

Por isso é necessário que as certificações sejam específicas para cada país ou região, mas que atendam e possuam critérios internacionais, para que assim, um turista possa viajar para qualquer país no mundo e ter a certeza de que está optando por um hotel sustentável. Essa é uma forma de evitarmos a famosa “Maquiagem verde”, que já comentamos no post “Hotel ecológico X  Hotel sustentável X Greenwashing”.

 

No Brasil ainda não temos tantos selos e certificações em sustentabilidade específicas para o setor hoteleiro, mas podemos destacar a Norma 15401 (Meios de hospedagem  – Sistema de gestão da sustentabilidade – Requisitos) e o Selo Verde Guia 4 Rodas.

 

selo_verde_guia_4_rodasO Selo Verde Guia 4 Rodas é dado pelo Guia 4 Rodas e ficou muito conhecido dos turistas e hoteleiros devido ao poder  e abrangência do Guia 4 Rodas, porém, infelizmente, os turistas ainda não tem acesso aos quesitos adotados pelo Guia 4 Rodas, bem como os hotéis premiados não sabem a pontuação  que atingiram no ranking e o que devem e podem melhorar no próximo ano. Mas apesar desse desconhecimento por parte do público interessado, os hotéis que a equipe EcoHospedagem conheceu e que estavam no ranking de sustentabilidade feito pelo Guia 4 Rodas possuíam, realmente, muitas ações sócio-ambientais, mas dizer que são sustentáveis é uma outra discussão. Mas pelo tema ainda estar no começo no Brasil, o Selo Verde Guia 4 Rodas é  uma boa forma de conscientizar os turistas brasileiros, de incentivá-los a preocuparem-se com o meio ambiente e a comunidade local e passarem a cobrar dos hotéis em que se hospedam uma atitude mais sustentável.

 

Já a Norma 15401 é como se fosse a “Iso” brasileira para a sustentabilidade no setor hoteleiro. Foi criada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e é uma das mais completas em todo o mundo. A norma aborda detalhadamente o meio-ambiente, a sociedade e a parte econômica do hotéis, e foi elaborada com o que na época (2004, 2005 e 2006) havia de melhor entre as inúmeras certificações internacionais, dando especial atenção aos problemas brasileiros.

 

Devido a sua grande complexidade, e também pela falta de informação (hoje pouquíssimos turistas e hoteleiros sabem da existência desta norma, que já existe desde 2006) a norma “não pegou”. Hoje apenas 03 empreendimentos são certificados pela 15401 (Hotel Canto das Águas e Hotel Lençóis na Chapada Diamantina e a Pousada Ville La Plage em Búzios).

painel_solar

Painel Solar

 

Um “desperdício” visto a qualidade da norma, mas, ao que parece, este problema está sendo corrigido. Mas devido a duas ações do governo brasileiro, a procura por certificação pela norma 15401 foi muito grande nos últimos 2 meses. Isto porque o BNDES, visando a melhoria da estrutura hoteleira do Brasil para a copa do mundo de 2014 (tema abordado em nosso post “A copa do mundo e o turismo sustentável”) lançou o ProCopa Turismo,  uma linha de financiamento específica para o setor hoteleiro e que dá prazos de pagamento maiores para Hotéis que sejam certificados pela Norma 15401, e paralelamente, o Ministério do Turismo está subsidiando a pré auditoria para a certificação, o que ajuda muitos empreendimentos a descobrirem em que fase estão para conseguir a certificação.

 

A expectativa é de que além de torna-se mais conhecida pelo público, a norma 15401 sofra também algumas mudanças para tornar-se um pouco menos complexa, facilitando assim que os pequenos e médios empreendimentos não tenham tanta dificuldade em conquistá-la. Com relação ao Selo Verde Guia 4 Rodas, fica a expectativa de que o Guia passe a divulgar os quesitos que utiliza em sua classificação e a pontuação de cada empreendimento. A divulgação dos quesitos utilizados pelo Guia facilitaria muito a verificação e cobrança das ações pelos próprios turistas, beneficiando assim todos os envolvidos. (Em nosso portal o turista pode encontrar um lista de ações que podem e devem ser adotadas por um hotel sustentável)

fachada_hotel

 

Para os hotéis que queiram ter acesso ao conteúdo na Norma, o Ministério do Turismo (MTur) e a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) firmaram um contrato que possibilita, após breve cadastro, visualizar e imprimir as normas brasileiras publicadas no âmbito do Comitê Brasileiro de Turismo (ABNT/CB-54). A norma pode ser vista no site www.abntcatalogo.com.br/mtur/

 

Thiago Cagna. Consultor EcoHospedagem. Dezembro/2011

 

 

Comentários sobre este post? Clique aqui.

 

Participe de nosso fórum.

 

Ir Para Topo Da Página

Deixe seu comentário também!

Comentários



6 Respostas para O turismo sustentável e os “selos verdes”

  1. Cleomar Macedo diz:

    Este selo não existe para agência de viagens e turismo?

  2. Ótima reportagem! A Norma é bastante complexa na sua implentação é de longo prazo, onde o empresário sozinho não consegue implantá-la. Existe no mercado outras oportunidades para hoteis e edificaçoes, também pelo BNDES, como o Selo Procel de Eficiência Energética para Edificações, que trata da dimensão energética e com grandes benefícios operacionais. Há também selos internacionais que ganham espaço no mundo das certificaçoes de sustentabilidade ambiental – Travelife. Outra dica está na web em sites como o TripAdvisor. Equipe Creato – http://www.creato.com.br

  3. Marcos Sereno diz:

    Você saberia informar quantos hotéis no Brasil possuem “selos verdes”? Quais selos são estes? Assim como, quantos meios de hospedagem foram certificados com uma das normas da serie da ISO 14000?

    • tcagna diz:

      Ola Marcos como vai? Depende do que considerarmos “selos verdes” no Brasil, pois temos alguns diferentes. Pela NBR 15401, que é a certificação adotada pela ABNT temos apenas 03 hotéis até hoje, mas a procura nos últimos 2 meses aumentou bastante devido a um incentivo fiscal dado pelo BNDES para hotéis sustentáveis.

      Equipe EcoHospedagem

  4. Fernando Vasconcelos diz:

    Excelente reportagem. Ainda falta muito sobre o entendimento sobre o que é sustentabilidade e como se atingir esse patamar no segmento hoteleiro. Vale dizer, como estímulo e valorização da Norma 15401, que sua adoção traz redução de custos efetivos e vários outros benefícios aos empreendimentos que se traduzem em competitividade.

    • tcagna diz:

      Ola Fernanda, como vai? Com certeza! Investir em sustentabilidade traz, também, retorno financeiro, seja através de economia de recursos (e consequente economia nas contas de luz, água e outros) além de retorno de Marketing (espontâneo, boca-boca ou pago). E para clientes, a sustentabilidade, normalmente, significa mais qualidade no atendimento e nos produtos, visto que os colaboradores (funcionários) trabalham mais felizes e como consequência atendem melhor e “rendem” mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.