Temas Variados » Turismo comunitário e cultural em Salvador – Parte I

Turismo comunitário e cultural em Salvador – Parte I



 

Pelourinho, Salvador - Turismo comunitário e cultural em Salvador

 

Em uma série de duas matérias mostraremos um pouco mais sobre algumas alternativas diferentes de turismo em Salvador. Roteiros de turismo que vão além dos tradicionais Elevador Lacerda, Pelourinho e Igreja do Bonfim.

Nesta primeira matéria conheça um pouco mais sobre o famoso Pelourinho, mas também sobre o Mercado Público, o Candomblé e a Igreja Nosso Senhor do Bonfim.

 

-> Veja a segunda parte da matéria sobre turismo comunitário e cultural em Salvador <-

 

Fitinhas do Bonfim, Pelourinho - Turismo comunitário e cultural em Salvador

Fitinhas do Bonfim, Pelourinho

O domingo começava com o tempo fechado, com o sol lutando para aparecer entre as várias nuvens que cobriam o céu de Salvador, e as 08:30 da manhã, com a cidade ainda acordando, já estávamos naquele que é, sem dúvida, o ponto mais turístico de Salvador, o Pelourinho. A esta hora, a grande maioria das lojas, restaurantes e ateliês ainda está fechada e o movimento nas ruas é pequeno. E talvez por isso este seja o melhor momento do dia para poder apreciar os detalhes das construções e igrejas centenárias com mais tranquilidade e encontrar bom ângulos para tirar fotos.

 

E lá, logo no começo do dia, encontramos nossa guia, Anne, que também é a proprietária da até então única agência de Turismo Responsável da cidade, a agência Bahia Metisse. Anne, que apesar de ser francesa, já mora em Salvador há 7 anos, e conhece algumas partes da cidade como ninguém. Como nos conta, a ideia de fundar a agência surgiu da falta de uma opção na cidade para os turistas que queiram conhecer lugares além dos pontos turísticos tradicionais de Salvador.

 

A agência, claro, oferece roteiros pelos pontos turísticos principais de Salvador, porém o ponto alto de seus passeios é “a verdadeira Salvador”, como o mercado público usado pelos moradores locais e a comunidade carente (favela) da Gamboa.

 

Pelourinho, Salvador - Turismo comunitário e cultural em Salvador

Pelourinho, Salvador

 

O Pelourinho

 

Como tínhamos apenas até as 14:00 horas para visitar a cidade, começamos cedo e visitamos rapidamente as principais ruas do Pelourinho. Na época da nossa visita, a região, também conhecida como centro velho, havia sido revitalizada há pouco tempo, com as casas e igrejas tendo sido reformadas e pintadas seguindo o padrão da época em que foram construídas, e por isso estavam muito bonitas e bem cuidadas.

 

Igrejas de Salvador - Turismo comunitário e cultural em Salvador

Igrejas localizadas no Pelourinho

 

A região do centro velho ou centro histórico, que compreende o Pelourinho e o Santo Antonio abriga algumas das principais igrejas da cidade, como a Catedral Basílica, Igreja De São Francisco, Igreja De Nossa Senhora Do Rosário Dos Pretos, Igreja E Santa Casa Da Misericórdia, além de outras tantas. E também é o acesso a parte alta do famoso Elevador Lacerda. Por isso, essa área é muito turística e movimentada, contanto com grande número de comércios e de vendedores de rua. Vale ainda lembrar que todo o centro histórico de Salvador foi tombado pela Unesco em 1993, garantindo assim a entrada de recursos federais para a conservação da área.

 

E, apesar da presença de alguns moradores de rua e pedintes, a região é bem policiada, e por isso os turistas não se sentem inseguros por lá. Mas esteja preparado para ser abordado, algumas vezes, por pessoas querendo vender alguma lembrança ou prestar algum serviço turístico. Mas relaxe, pois eles estão apenas trabalhando e, afinal, você está na Bahia!

 

Pelourinho - Turismo comunitário e cultural em Salvador

 

Devido ao tempo curto e por nosso foco ser outro, nosso passeio pelo Pelourinho durou apenas 30 minutos, mas Anne lembra que sempre sugere aos seus clientes que realizem este passeio com um dos guias credenciados pela Prefeitura para apresentar a região. Os guias usam crachás de identificação e podem ser encontrados nas proximidades dos principais pontos turísticos da região. O passeio “oficial”, passando por todos os pontos turísticos do bairro leva cerca de 3 horas e os guias cobram cerca de R$ 60,00 por pessoa por ele. Outra opção é buscar um guia na sede da SINGTUR, o Sindicato dos Guias de Turismo da Bahia, que fica enfrente a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, ali no burburinho do Pelourinho.

 

Para os mais desconfiados a própria agência Bahia Metisse pode organizar o tour histórico com guias profissionais e credenciados que eles conhecem, garantindo assim a qualidade do serviço prestado.

 

Veja mais sobre o Pelourinho em www.pelourinho.ba.gov.br

 

 

Igreja Nossa Senhora do Bonfim - Turismo comunitário e cultural em Salvador

 

Mercado público, Candomblé e Igreja do Bonfim

 

Dali partimos de carro para o mercado popular de Salvador, não o turístico Mercado Modelo, mas sim o mercado São Joaquim, onde os moradores locais fazem suas compras e onde se encontra de tudo um pouco, desde frutas e legumes locais, passando por carnes e temperos e chegando aos utensílios e produtos usados no candomblé, religião que nasceu na Bahia, com ascendência africana, e é uma mistura do Catolicismo e do culto aos orixás.

 

Porém, antes de chegarmos ao grandioso mercado público, ainda na parte alta da cidade, passamos em frente ao Forte de Santo Antônio Além do Carmo, um antigo forte, que virou prisão, e que hoje é administrado por um órgão do Governo, o  Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), e foi transformado em uma escola de capoeira para crianças. Por lá, o que eram as antigas celas, agora são salas de aulas!

 

Mercado Público - Turismo comunitário e cultural em Salvador

Mercado Público de Salvador

 

A escola é gratuita e, como nos diz Anne, uma escola onde ensinam a capoeira tradicional e verdadeira, e não a capoeira para “gringo ver”. Para quem quiser, as aulas podem ser assistidas gratuitamente.

 

Voltando ao Candomblé, nossa guia nos conta que a religião nasceu a partir do momento que os senhores de escravos impunham o catolicismo aos negros da região, e estes, para atender a ordem de seus senhorios, escondiam seus orixás, vodus e nkisis atrás dos santos católicos que eram obrigados a cultuar. E então, enquanto os senhorios achavam que eles estavam cultuando os santos católicos, eles estavam, na verdade, cultuando seus antigos “santos”.

 

Mercado Público - Turismo comunitário e cultural em Salvador

Produtos relacionados ao Candomblé

 

Porém com o tempo os negros passaram a também cultuar, verdadeiramente, os santos católicos, surgindo então uma nova crença, que misturava os “santos” de duas diferentes religiões.

 

O Mercado São Joaquim pode parecer um pouco assustador para quem o conhece pela primeira vez, com passagens apertadas, barracas antigas e carnes expostas ao ar livre, mas é o mercado real dos moradores locais, muito diferente do turístico e bem arrumado Mercado Modelo.

 

Mercado Público - Turismo comunitário e cultural em Salvador

 

Mas é no Mercado Público que se pode ver as frutas típicas da região, os ingredientes e os utensílios ideais para se preparar as comidas típicas da Bahia, e é por isso que a agência Bahia Metisse leva seus clientes até lá.

 

Elevador Lacerda - Turismo comunitário e cultural em Salvador

Elevador Lacerda

Um dos roteiros oferecidos pela agência é a aula de culinária local, em que o turista aprende, com uma moradora de uma comunidade de Salvador, a fazer a moqueca, um dos pratos mais típicos da região. Mas antes de por a mão na massa e cozinhar, o turista tem que ir as compras. Ele ganha uma lista de ingredientes necessários para o prato e tem que se virar para comprá-los no mercado.

 

Uma experiência diferente para muitos e, ecomo nos conta Anne, uma experiência muito divertida quando se trata de estrangeiros, que além de não conhecerem os ingredientes, tem que se virar para se comunicar com os vendedores.

 

Do mercado partimos para a Igreja do Senhor do Bonfim, e felizmente era hora da missa de domingo e a igreja estava tomada pelos fiéis. Lá a missa é muito animada, com muitas musicas e até um parabéns para você para os aniversariantes do dia.

 

Além da missa já ser um atrativo, a igreja é bonita por dentro e por fora. Além de ser suntuosa, os portões são cobertos por centenas de milhares de fitinhas do Senhor do Bonfim, dando um colorido todo especial a igreja. Benção pedida, nossa próxima parada é a ponta de Humaitá, de onde fica o Forte Monte Serrat, Igreja Nossa Senhora do Monte Serrat e de onde temos a vista da famosa e movimentada Praia de Boa Viagem. Depois de uma parada rápida partimos para a comunidade da Gamboa, um dos pontos altos do passeio.

 

Igreja Nossa Senhora do Bonfim - Turismo comunitário e cultural em Salvador

Igreja do Nosso Senhor do Bonfim

 

-> Veja a segunda parte da matéria sobre turismo comunitário e cultural em Salvador <-

 

Por Thiago Cagna. Consultor EcoHospedagem.

 

Contribuíram com esta publicação

Anne Simonet – Agência de turismo Bahia Metisse –  www.bahiametisse.com

Revisão e edição de texto – Nathalia Pereira, Jornalista – www.nathaliapereira.com

 

Ir Para Topo Da Página

 

 

Deixe seu comentário também!

Comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.