Caixa Livre » Um hotel que gera energia do lixo

Um hotel que gera energia do lixo



 

Best Western Chilworth Manor Hotel está localizado em 12 hectares na Universidade de Southampton Science Park (USSP). O hotel possui 95 quartos e 11 salas de reuniões e conferências. O local é também um Health Club com piscina,  Spa, estúdio de dança e ginásio.

 

 

Um foco renovado sobre a sustentabilidade começou quando Gavin Elliott foi nomeado diretor-gerente em 2005. Gavin percebeu que adotar práticas mais sustentáveis não era apenas bom para o ambiente, mas também economizava dinheiro e ajudava a atrair mais clientes corporativos.

 

O primeiro passo foi trazer uma consultoria para ajudar a desenvolver um quadro sustentável para o que poderia ser alcançado e quais as medidas necessárias para tal. Uma das primeiras iniciativas foi a formação de “equipes verdes”, um grupo de trabalhadores responsável pela garantia de que as medidas verdes funcionassem e fossem cumpridas pelo resto do pessoal.

 

Enquanto Gavin é o homem com a visão verde, é Steve Axton, gerente de manutenção do Hotel, que é responsável por tornar as soluções viáveis e implementá-las.

 

Steve introduziu um melhor monitoramento de energia e uso de água e um rigoroso controle de temperatura. Ele também começou a substituir a iluminação tradicional lâmpada incandescente com luzes LED.

 

 

Mas é na área de reciclagem que o Hotel alcançou grande sucesso. Movendo-se de uma situação de apenas um tipo de lixeira, o Hotel agora cuidadosamente separa os resíduos em lixeiras diferentes e atingiu uma taxa de reciclagem de 45%.

 

Também se tornou um pioneiro na gestão de alimentos e resíduos verdes que agora estão sendo processados por uma micro usina no local, que transforma os resíduos em calor, eletricidade e um fertilizante rico em nutrientes.

 

Em uma abordagem colaborativa entre o Hotel e USSP, uma média de 500kg de resíduos de comida de cozinha, óleo de cozinha e bebidas alcoólicas são coletados e, juntamente com resíduos de grama do terreno, são processados diariamente através de um equipamento da Seab Energia. 

 

 

O Sistema funciona como uma micro usina biodigestora, em que os alimentos são transformados através de um processo natural em gás (que pode ser usado para aquecimento ou eletricidade), adubo e água. Estima-se que seja 60% em volume de todos os resíduos produzidos pelo hotel.

 

Através da geração de energia e da eliminação dos custos de eliminação de resíduos, a unidade produz receitas líquidas de cerca de $20.000 por ano, obtendo um Payback de cinco anos quando o sistema atingir sua capacidade máxima durante 2014.

 

Medidas mais recentes incluem a instalação de medidores de água e um melhor sistema de filtragem de água na piscina que irá reduzir a quantidade de consumo de água.

 

Uma das principais vantagens destas medidas verdes foi reduzir os custos operacionais. E, com uma política verde em vigor, o hotel também beneficia de um impulso em reservas corporativas de empresas que favorecem os fornecedores mais ecologicamente conscientes.

 

Olhando para o futuro, o Hotel está comprometido com a formação de novos funcionários sobre as suas políticas verdes, bem como garantir que os colaboradores atuais sejam conscientizados. 

 

 

Com base nas suas experiências ao longo dos últimos nove anos, o Conselho de Gavin e Steve para hotéis que estão começando suas ações sustentáveis, seria encontrar a consultoria certa para ajudar a estabelecer o que pode realisticamente ser alcançado, antes de criar um plano que corresponda ao orçamento de capital. Eles sugerem começar com pequenas ações e lentamente ir aumentando o alcance e a profundidade de suas iniciativas sustentáveis.

 

Por Thiago Cagna

 

Deixe seu comentário também!

Comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.